A qualidade da nossa voz é influenciada positiva e negativamente por diferentes hábitos. A consciencialização dos comportamentos benéficos e prejudiciais à laringe é essencial para uma melhoria na qualidade vocal. Ou seja, a pessoa tem de saber quais são os comportamentos que protegem a sua voz e quais são os comportamentos que a danificam, precisando para isso de rastrear os usos e abusos vocais. De seguida são apresentados alguns destes comportamentos:  

Hábitos prejudiciais 

  • Falar em esforço (falar alto, gritar, falar enquanto se pratica exercício físico)  
  • Pigarrear 
  • Falar em excesso 
  • Falar num tom desadequado 
  • Fumar 
  • Beber álcool 
  • Falar em demasia em quadros gripais  
  • Beber líquidos muito frios ou muito quentes 
  • Cantar sem preparação adequada 
  • Não beber água 

Além da consciencialização destes hábitos vocais, que se configuram como abusos, é essencial que os mesmos sejam mudados.  Tomemos como exemplo a altura em que fazemos dieta para emagrecer. Quando fazemos dieta, e retiramos aqueles alimentos que consideramos prejudiciais, até podemos emagrecer temporariamente, mas se depois os retomarmos, é muito provável que os quilos perdidos tornem a aparecer. Comparativamente, se após a terapia mantivermos os abusos vocais é mais provável que ocorra uma recidiva. Numa dieta, tem de haver uma mudança na forma como nos alimentamos, pelo que também na voz devemos adotar comportamentos que perdurem e que protejam a voz.  

Para isso, temos de estudar os nossos hábitos vocais, de perceber em que altura recorremos a eles e que alternativas podem resultar connosco. Por exemplo, em sala de aula, quando surgir a necessidade de chamar a atenção dos alunos, em vez de gritarmos, experimentamos bater palmas.  Se temos consciência que bebemos pouca água, essencial para as cordas vocais, procuremos ter sempre uma garrafa de água acessível durante o dia.  

Não basta identificar os comportamentos prejudiciais à voz. Para uma melhoria efetiva na qualidade vocal tem de haver uma mudança comportamental. O Terapeuta da Fala pode ajudar a desenvolver estratégias que promovam essa mudança!