Recentemente, e por mero acaso, tive acesso a um conceito usado por cozinheiro, o “mise en place”, que significa “pôr em ordem”. De acordo com o que encontrei sobre este conceito, antes de qualquer ação dentro de uma cozinha, o cozinheiro deve não só ter em mente o que vai fazer, como o que irá fazer, o estado dos equipamentos, os utensílios necessários e os ingredientes preparados. Este é um momento importante na definição de um bom cozinheiro.  

Da mesma forma, acredito que a atuação do Terapeuta da Fala vai muito além do trabalho realizado em sessão e seja sempre necessário o seu próprio “mise en place”. Antes de cada sessão, o Terapeuta da Fala precisa de definir o que vai trabalhar na sessão, os objetivos e as atividades associadas aos mesmos, de preparar essa mesma sessão, em termos de materiais, e de adequar a sala sempre que for necessário. Este é um trabalho que pode passar despercebido mas que é essencial para o sucesso da intervenção terapêutica, pelo que deve ser devidamente considerado em horário de trabalho. Quando tal não é possível a intervenção torna-se mais difícil, mais morosa com prejuízos para o próprio utente.